• 26/06/2020

    Liebherr do Brasil mantém investimentos durante a pandemia


    FONTE: Karen Feldman Cohen, editora do Jornal SINDIPESA            

     

    A invenção do guindaste de torre é sinônimo do nascimento da empresa Liebherr. Na primeira década de atuação, a pequena empresa de construção se desenvolve e se transforma em uma fabricante de máquinas de construção e mineração bem-estabelecida, além de fabricar diversos outros produtos com tecnologia sofisticada.

     

    Mais do que produtos de alta qualidade, a Liebherr oferece aos seus clientes soluções customizadas de acordo com suas respectivas necessidades. Seja para máquinas, serviços de pós-vendas, ou sistemas e tecnologias, Liebherr é sinônimo de serviço abrangente e consultoria competente.

     

    No início da pandemia, a Liebherr criou um comitê responsável pela análise dos cenários e pelas ações relacionadas à Covid-19 na empresa. A partir do comitê, diversas ações especialmente focadas na transparência e comunicação direta com colaboradores, parceiros e clientes, têm sido adotadas. Comunicações sobre os cuidados necessários para o público interno, bem como sobre as medidas que a empresa tem tomado para a contenção do vírus são feitas periodicamente ou à medida do necessário.

     

    “A comunicação constante tem sido uma aliada nesses tempos de pandemia. Informações sobre os cuidados necessários, distanciamento social, uso de máscaras e higienização tem sido feitas periodicamente, incentivando os colaboradores a respeitarem as medidas tanto na fábrica, como em eventuais visitas à clientes e até mesmo em casa”, afirma Tatiana Bielefeld, coordenadora de Marketing da Liebherr Brasil.

     

    Além disso, a empresa restringiu as viagens - especialmente as de avião – sendo autorizadas somente aquelas em caráter emergencial. Terceiros e visitantes somente podem entrar na Liebherr mediante a um formulário para esclarecer a necessidade da entrada. Todos – colaboradores, visitantes, terceiros – passam obrigatoriamente por uma barreira sanitária (aferição da temperatura corporal), antes de entrar na fábrica.

     

    Dentre as mudanças adotadas pela empresa por conta da pandemia, é possível citar a adoção do home-office para o maior número possível de colaboradores, mantendo na fábrica as posições que não têm essa opção, e o atendimento aos clientes por outros meios não presenciais, como telefone e e-mail, que aumentou consideravelmente.

     

    “Entendemos que toda a economia do Brasil foi e ainda será afetada pela pandemia. Como um Grupo mundial e de gestão familiar, podemos afirmar que temos a solidez necessária para superar mais esse desafio”, comenta Bielefeld, que afirma ter sido preciso fazer ajustes na empresa, mas mantendo a qualidade do atendimento.

     

    De acordo com a executiva, como em todo mercado, houve um tempo para a adaptação, mas que agora a empresa já está operando dentro de uma nova normalidade, cumprindo todos seus compromissos com os clientes.

     

    Nos últimos anos, a Liebherr tem investido na expansão da linha de produção de Componentes (rolamentos de grande diâmetro), renovação de maquinário industrial, além de investimentos em treinamentos para colaboradores, que pretende manter mesmo durante a pandemia. Para reduzir custos neste momento, a empresa colocou em prática ações com base na MP 936, de modo que não afetasse o atendimento aos parceiros e clientes.

     

    “As crises, de forma geral, nos convidam a uma nova leitura dos cenários, nos movimentam a novas atitudes e dinâmicas. Nesse sentido, essa crise pode ser comparável a outras – devemos nos adaptar para superá-la. Mas, essa crise não afetou somente um setor ou o Brasil: tem dimensões globais em uma escala nunca antes vista, portanto precisa ser diferenciada”, lembra Bielefeld.

     

    Além disso, essa crise tem um impacto pessoal muito grande, ou seja, as pessoas têm grande sensibilidade, não somente pelo aspecto (e impacto) econômico, mas também pela saúde. “Por isso, temos uma responsabilidade de munir nosso pessoal com informações assertivas e de valor que não somente os tranquilizem para que possam desempenhar suas atividades de forma segura e eficiente, mas também para conter a disseminação do vírus”, aponta a executiva.

     

    Em função da pandemia, a Liebherr, no Brasil, colaborou com doação de insumos como máscaras, por exemplo, para entidades e hospitais da região da sua fábrica, em Guaratinguetá (SP). Além disso, na fábrica responsável pela produção de componentes aeronáuticos, a empresa fabricou uma série de componentes para respiradores, para auxiliar no combate à Covid-19.

     

    “Tem sido desafiador atuar nesta pandemia. Já vínhamos de um cenário de crise econômica há alguns anos, com uma perspectiva otimista para 2020 e com o ocorrido, tivemos que nos adaptar novamente”, finaliza Bielefeld.

     

    Notícias relacionadas:

    Serviços

    O Sindipesa mantem convênio com a Paulicon consultoria nas questões relacionadas a legislação que afeta o transporte rodoviário de cargas, de trânsito, tributária e trabalhista através do telefone (11) 4173-5366

    

    Parceiros Mantenedores