• 03/10/2018

    Prejuízo com roubo de carga é de R$ 6,1 bilhões


    FONTE: O Carreteiro             

     

    Recente estudo sobre o impacto econômico do roubo de cargas no Brasil, divulgado pelo Sistema Firjan, mostra que entre os anos de 2011 e 2016 o roubo de cargas foi o responsável pelo prejuízo de mais de R$ 6,1 bilhões em todo o Brasil. No período foram registradas 97.786 ocorrências, ou seja, um roubo de caminhão acontece a cada 23 minutos em todo o território nacional.

     

    Os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo continuam liderando os locais de maior incidência. Em 2016, por exemplo, os dois Estados juntos foram responsáveis por  87,8% dos registros ocorridos em 2016.

     

    Dados são do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram que em 2017 foram 10.599 ocorrências somente no Rio de Janeiro. Desse total, 5.371 ocorrências foram registradas na capital; na Baixada Fluminense, 3.167; em Niterói e São Gonçalo, 1.586, e no interior do estado, 475.

     

    A falta de segurança nas estradas está entre as principais queixas dos motoristas de caminhão, que se sentem inseguros de trafegar em certos horários e locais para carregar e descarregar.

     

    Como evitar o roubo de cargas

     

    Confira algumas dicas do Cel. Paulo Roberto de Souza, assessor de segurança da NTC&Logística, para evitar ser vítima do roubo de carga.

     

    Procedimentos seguros a serem adotados antes de iniciar a viagem:

    • Verificar a manutenção do veículo
    • Verificar com a empresa o local de entrega da carga para que possa estabelecer uma rota e locais seguros de parada
    • Evitar viajar durante a noite

     

    Durante a viagem:

    • Parar apenas em lugares confiáveis
    • Evitar parar ao longo da rodovia para “bater pneu”
    • Não dar carona
    • Enquanto estiver estacionado evitar conversas sobre o produto que está carregando e a rota que pretende seguir
    • Caso haja a necessidade de pernoitar, travar o veículo e dormir fora do caminhão
    • Evitar os chapas na rodovia, eles são muito perigosos e podem estar a serviço de alguma quadrilha
    • Viajar sempre com o tanque cheio
    • No caso de alguém sinalizar problemas em seu caminhão, não pare. Siga até o próximo local seguro para verificar a informação

     

     

    Notícias relacionadas:

    Serviços

    O Sindipesa mantem convênio com a Paulicon consultoria nas questões relacionadas a legislação que afeta o transporte rodoviário de cargas, de trânsito, tributária e trabalhista através do telefone (11) 4173-5366

    

    Sócios Mantenedores