• 14/08/2018

    "Apenas 12,4% das estradas são pavimentadas no País", diz CNT


    FONTE: Estadão Conteúdo               

     

    Embora o sistema rodoviário seja o principal modal de transporte do País, a malha pavimentada cresceu apenas 0,5% entre 2009 e 2017, de acordo com o Anuário divulgado nesta segunda-feira, 13, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). E, enquanto as estradas brasileiras registraram 6.243 mortes somente no ano passado, 61,8% das principais rodovias apresentam problemas em seu estado geral. O levantamento da CNT mostra que o Brasil possuía um total de 1,720 milhão de quilômetros de estrada no ano passado, dos quais apenas 12,4% são pavimentados, ou seja, somente 213.453 km. O restante da malha se divide em estradas não pavimentadas (78,5%) ou planejadas (9,1%). 



    O documento mostra que a malha ficou estagnada nos últimos nove anos, já que a extensão de rodovias pavimentadas cresceu apenas 0,5% nesse período, ou apenas 962 km em relação aos 212.491 km de 2009. A proporção de estradas asfaltadas no total da malha inclusive permaneceu em 12,4%.

     

    Problemas 

    A CNT também avaliou o estado das rodovias federais pavimentadas e dos principais trechos de rodovias estaduais, encontrando problemas no estado geral de conservação das pistas em 61,8% da extensão percorrida. 



    O principal problema encontrado está na geometria das vias em 77,9% dos casos. Em 31,1% das estradas avaliadas, os ângulos das pistas são péssimos, em 8,4% delas a geometria é ruim e em 28,4% apenas regular. 



    Deficiências de sinalização foram encontradas em 59,2% das rodovias analisadas, sendo que em 13,2% a sinalização é péssima e em 14,1% é ruim. Os problemas no asfalto atingem 50% dos trechos, com pavimentação péssima em 2,8% dos casos e ruim em 13,2%. 

    Frota

    Enquanto a malha permanece estagnada e sem a devida manutenção, a frota de veículos registrados no País cresceu 63,6% entre 2009 e 2017, passando de 59,361 milhões para 98,201 milhões. 



    De acordo com a CNT, o sistema nacional de transporte de cargas contava com uma frota de 2,195 milhões de caminhões de empresas, 1,349 milhão de veículos de caminhoneiros autônomos e 46.294 caminhões de cooperativas. Já a frota habilitada para o transporte internacional de cargas era formada por 139.129 veículos.



    Ferrovias e portos

    Diante dos problemas do setor rodoviário, outros modais de transporte têm apresentado expansão nos últimos anos. O sistema ferroviário, por exemplo, movimentou 538,8 milhões de toneladas úteis em 2017, volume 6,9% maior que o de 2016. 



    Já a movimentação total nas instalações portuárias cresceu 8,5% em 2017, chegando a 1,1 bilhão de toneladas. Da mesma forma, a carga transportada pelo setor aéreo cresceu 8,9% no ano passado, chegando 1,24 milhão de toneladas. 

     

    Notícias relacionadas:

    Serviços

    O Sindipesa mantem convênio com a Paulicon consultoria nas questões relacionadas a legislação que afeta o transporte rodoviário de cargas, de trânsito, tributária e trabalhista através do telefone (11) 4173-5366

    Consultoria Tributária Bastazini
    O Sindipesa mantem convênio com a Bastazini Consultoria Tributária para consultas sobre questões tributárias nas importações de máquinas e equipamentos (Definitiva e temporária), assim como trabalho institucional junto aos órgãos governamentais, em especial receita federal, MDIC, MTE e planejamento. O contato com a empresa pode ser feito através do telefone (13) 3027-4788 ou email jose.bastazini@yahoo.com.br