12/11/2017

Você está atualizado sobre a exigência de para-choques e para-barros nos reboques?


 

Dois itens que sempre geravam problemas nas fiscalizações dos veículos no transporte especial tiveram suas exigências revisadas recentemente.

As revisões foram para melhor: simplificaram questões que eram polêmicas.

São elas:

1 – Isenção de Para-choque traseiro nos rebocados:

A Resolução 593/16 finalmente isentou rebocados destinados ao transporte de cargas indivisíveis do atendimento dos requisitos trazidos pela Resolução anterior 152/03.

Diz o novo texto:

“Art. 4º Estão isentos da instalação do para-choque traseiro os seguintes veículos:

 

III – produzidos especialmente para cargas autoportantes e veículos muito longos que

necessitem de Autorização Especial de Trânsito (AET);

 

X – rebocados destinados ao transporte de cargas indivisíveis (carrega-tudo).”

 

 

 

A estrutura traseira de carretas e linhas de eixos para o transporte de cargas indivisíveis é, por questões de projeto, muito mais reforçadas do que a estrutura do para-choque definido para cargas convencionais.

Naquelas pranchas que você já alterou para atender ao para-choque anterior, recomendo deixar como está, para não gerar custos extras. Para os novos, não será necessário instalar, conforme a nova Resolução 593/16.

2 – Altura do Para-barro

Outro item polêmico: a altura do piso até o início do para-barro, item obrigatório para as rodas traseiras dos veículos de cargas de acordo com a Resolução 14/98, teve sua altura máxima aumentada de 15 cm para 35 cm (350 mm) pela nova revisão da NBR 11.409 de 14 de setembro de 2017.

 

Item que também gerava muita confusão nas fiscalizações, agora fica com uma altura mais compatível com veículos especiais, reduzindo as possibilidades de autuações.

Do mesmo modo, naqueles veículos que já você já alterou para a altura de 15 cm, recomendo deixar como está, para não gerar custos extras. Para os novos, confira a altura máxima de até 35 cm. Se estiver acima: corrija para evitar problemas nas rodovias. Se estiver até 35 cm, está dentro da Legislação nova.

 

O Eng. Rubem Penteado de Melo colabora com o SINDIPESA.

 

 

Notícias relacionadas:

Serviços

O Sindipesa mantem convênio com a Paulicon consultoria nas questões relacionadas a legislação que afeta o transporte rodoviário de cargas, de trânsito, tributária e trabalhista através do telefone (11) 4173-5366

Consultoria Tributária Bastazini
O Sindipesa mantem convênio com a Bastazini Consultoria Tributária para consultas sobre questões tributárias nas importações de máquinas e equipamentos (Definitiva e temporária), assim como trabalho institucional junto aos órgãos governamentais, em especial receita federal, MDIC, MTE e planejamento. O contato com a empresa pode ser feito através do telefone (13) 3027-4788 ou email jose.bastazini@yahoo.com.br



Sócios Mantenedores